PERGUNTAS FREQUENTES

Quais são os objetivos dos concertos?


Aumentar a consciência para a crise climática, atingindo um novo público e ampliando o movimento global. Haverá um foco nos impactos sobre aqueles que estão na linha de frente do colapso ecológica. Os shows em 16 de outubro terão como objetivo o alcance de uma nova audiência para o ativismo climático e alguns países irão pressionar os seus governos para que políticas de enfrentamento à crise climática sejam implementadas.




Por que precisamos de concertos, quando já temos greves para pressionar a ação climática?


Há mais de um ano as greves realizadas pelos jovens, e também pelos adultos, têm sido marcantes. Em torno de 7,6 milhões de pessoas participaram das greves no mês setembro de 2019. No entanto, ainda nada de substancial foi proposto para evitar a catástrofe climática. Nas escolas de todo o mundo, menos de 0,1% dos alunos estiveram envolvidos com as greves. Visto que a música tem o poder de unir as pessoas, alcançaremos um público maior por meio dos shows; portanto, os ativistas climáticos sentem que o Climate Live é o próximo passo para o movimento. Trabalharemos com estratégias de advocacy para ampliar nossos posicionamentos e, de fato, pressionar os tomadores de decisões.




Como a mensagem vai passar dos concertos? Como você vai garantir que os artistas retratem as principais mensagens?


Primeiramente, não teremos apenas estrelas de rock no palco. Teremos jovens ativistas, povos indígenas e cientistas falando entre os sets. Em segundo lugar, vamos abordar apenas artistas que já apoiaram as greves do clima jovem ou outros ativismos.




Os eventos vão ser taxados?


Queremos que a entrada seja gratuita; porém, caso necessário cobrar, faremos nosso melhor para que os ingressos sejam acessíveis.




Como você vai garantir que as vozes das pessoas na linha de frente sejam ouvidas?


Convidamos comunidades indígenas e tradicionais para se apresentarem no dia do evento, bem como pessoas que vivem em áreas vulneráveis aos efeitos da crise climática e desigualdade social.




Que atrações foram confirmadas?


Divulgaremos em breve




Qual é a situação do evento atualmente?


Este evento ainda não foi formalmente lançado. No Brasil planejamos eventos em duas cidades: São Paulo e Porto Alegre.




Como você vai tornar os eventos sustentáveis?


Como os eventos estão sendo liderados por jovens ativistas do clima, a sustentabilidade é uma prioridade máxima. Como tal, não permitiremos que artistas/palestras voem para se apresentar e, caso necessário, compensaremos todas as emissões. Uma das razões pelas quais gostaríamos de ter muitos eventos organizados localmente, assim como os grandes eventos, é torná-los acessíveis e reduzir a necessidade de viagens aéreas. Vamos nos esforçar para tornar os eventos o mais próximo possível de 100% sustentáveis - energia solar/biocombustíveis, reciclagem, banheiros de compostagem, sem plásticos de uso único, apenas comida vegana/veggie, etc.




Onde você está conseguindo dinheiro para financiar os eventos?


Empresas e ONGs parceiras financiam nossos eventos. Todos foram avaliados previamente pela equipe, para evitar qualquer empresa/organização que promova “lavagem verde” e mais condições de trabalho aos seus empregados.




Se você decidir arrecadar dinheiro, para onde ele irá e como irá arrecadá-lo?


A arrecadação de fundos não é o objetivo principal dos eventos. Como é a natureza de um movimento descentralizado, os grupos organizadores são autônomos e podem decidir se/como eles arrecadam dinheiro e para onde ele vai. Alguns grupos decidiram que qualquer dinheiro arrecadado irá diretamente para onde aqueles que estão na linha de frente querem que ele vá e alguns grupos podem adicionar uma opção de doação quando as pessoas compram ingressos e/ou dizer em palco lugares legítimos que as pessoas podem ir para ajudar diretamente aqueles que estão na linha de frente.




Como você vai evitar as críticas que o Live Aid 1985 recebeu?


Ao contrário do Live Aid, esses eventos estão sendo organizados por grupos de base e utilizando a rede de ativistas que organizam as greves climáticas, por isso estamos visando o maior número possível de eventos em todos os continentes e em todas as escalas. Assim, ao invés de falar em nome das pessoas na linha de frente da degradação ecológica, estamos entregando o microfone. Isso evita os problemas causados pela mentalidade ocidental de quem pensa saber o que é melhor para as pessoas do sul global sem consultá-las. Isso também evita a crítica de "para onde vai o dinheiro?" pois, embora a arrecadação de fundos não seja o objetivo principal dos eventos, qualquer dinheiro arrecadado irá diretamente para onde aqueles que estão na linha de frente querem que ele vá.




Já houve o Live Earth. Como isso é diferente?


Ao contrário do Live Earth, a organização deste evento está sendo liderada por jovens ativistas, não por políticos, portanto a sustentabilidade e a mudança de sistema são a nossa prioridade máxima. Os eventos fazem parte do movimento global de ação climática da juventude (as greves).




Os shows serão online ou presenciais?


Devido a situaçao do Covid-19, ainda não foi confirmado se haverá a possibilidade dos shows serem presenciais, mas a transmissão online está garantida.